Raymundo Colares

Raymundo Colares (Grão Mogol, MG, 1944 – Montes Claros, MG, 1986) fazia obras com traços geométricos e cores fortes. Às vezes usava telas tridimensionais, de materiais industriais como alumínio e acrílico, algumas delas com dobraduras que simulam movimento. Em diversos trabalhos, usava tintas metálicas que nos remetem a carrocerias de ônibus, criando imagens que representam a desordem urbana. Colares fazia também seus “Gibis”, pequenos cadernos, que na verdade eram livros-objeto que podiam ter muitas divisões e dobraduras coloridas em cada página, produzindo um efeito como o das histórias em quadrinhos, mas sem palavras.

Livros

Nome:

Email:

Estado:

Cidade:

Data de nascimento:

/ /

Áreas de Interesse: