Pulverizados

R$ 38,00

Obrigado! Enviado com sucesso.

Problema ao enviar, tente novamente.

Quatro profissões, quatro cidades: Xangai, Dacar, Lyon, Bucareste. Nelas conhecemos uma operária chinesa e sua rotina de humilhação cotidiana em uma fábrica; acompanhamos um supervisor de telemarketing apoiar-se sobre a crença em seu ambiente corporativo e a fé neopentecostal; notamos como o responsável pelo controle de qualidade de uma empresa vê sua relação familiar se deteriorar sob a pressão do trabalho e do sexo virtual; assistimos a uma engenheira de estudos sofrer por sua dificuldade de se integrar e subir na hierarquia. O cotidiano desses indivíduos é rude, cortante, às vezes cruel e vergonhoso. Todos são vítimas de uma corrida desenfreada pelo lucro provocada pela louca circulação do capital. Todos estão sujeitos à rentabilidade, à flexibilidade e à precariedade que move a gigantesca roda da economia no mundo globalizado. O texto de Pulverizados foi traduzido por Marcio Abreu.

Sobre a autora
Alexandra Badea (Bucareste, Romênia, 1980) é dramaturga, diretora de teatro e de cinema. Ganhadora do Grand Prix, na França, na categoria literatura dramática em 2013, vive e trabalha em Paris desde 2003. Suas peças, todas editadas pela Arche, ganharam a atenção da crítica e do meio especializado. Entre as mais importantes estão Pulvérisés, Europe connexion, Burn out e A la trace. Ligando o íntimo e o político com uma escrita de humor ácido, Badea aponta os medos, as resignações e as crises no mundo contemporâneo ao construir um universo de sensações vivas e cheio de questionamentos. Sua origem romena a leva a interrogar a questão do estrangeiro e da emigração. Com textos traduzidos e montados em alemão, inglês, grego, italiano, português, romeno e cantonês, atualmente Badea escreve e dirige uma trilogia sobre a parte oculta da História recente da França, cuja primeira parte, Points de non-retour [Thiaroye], estreou em 2018, no Théâtre National de la Colline, e a segunda, Points de non-retour [Quais de Seine], no Festival d’Avignon 2019.

Sobre o tradutor
Marcio Abreu (Rio de Janeiro, 1970) é dramaturgo, diretor e ator. Fundou e integra a companhia brasileira de teatro, sediada em Curitiba, com a qual desenvolve projetos de pesquisa e criação. Tem como interlocutores artistas do Brasil e de outros países. Seu trabalho é focado na articulação e criação de novas escritas para a cena e na interseção entre os diversos campos da arte. Recebeu diversas indicações e prêmios como Shell, Bravo, APCA, Questão de Crítica, APTR e Cesgranrio. Tem artigos publicados em revistas especializadas, tais como Subtexto e Questão de Crítica. Pela Cobogó publicou as peças Nômades, Maré, PROJETO bRASIL e Preto, esta última em coautoria com Grace Passô e Nadja Naira. Sua peça Vida foi publicada na Ensaia – revista de dramaturgia, performance e escritas múltiplas. Criou duas peças para o grupo Galpão, Nós (2016) e Outros (2018).

Sobre a coleção
A Coleção Dramaturgia publica, desde 2012, textos de dramaturgos da cena teatral brasileira e internacional. Os livros ajudam a construir a memória do teatro do nosso tempo, marcando um novo registro do cenário da dramaturgia contemporânea. Em 2015, a Cobogó lançou ainda a Coleção Dramaturgia Espanhola e em 2019 a Coleção Dramaturgia Francesa e a Coleção Dramaturgia para Crianças. Somam-se a esses títulos também a Coleção Dramaturgia Holandesa, lançada em 2022. São mais de 60 autores em quase 100 títulos publicados. A Coleção Dramaturgia Francesa é uma parceria da Cobogó com a Buenos Dias e o Núcleo dos Festivais Internacionais de Artes Cênicas do Brasil e tem idealização, direção artística e de produção de Márcia Dias.

Ficha Técnica
Coleção Coleção Dramaturgia Francesa
Autora Alexandra Badea
Tradutor Marcio Abreu
Idioma Português
Páginas 96
ISBN 9788555910852
Capa Radiográfico
Encadernação Brochura
Formato 13 x 19 cm
Ano 2019

Pulverizados
Pulverizados
Pulverizados
Pulverizados
Pulverizados
Pulverizados

Nome:

Email:

Estado:

Cidade:

Data de nascimento:

/ /

Áreas de Interesse: