Cachorro morto na lavanderia: os fortes

R$ 36,00

Obrigado! Enviado com sucesso.

Problema ao enviar, tente novamente.

Na peça Cachorro morto na lavanderia: os fortes, a premiada dramaturga Angélica Liddell ressuscita o gênero apocalíptico da política-ficção em um texto que nos permite refletir sobre as experiências totalitárias e é capaz de entrever as catástrofes rumo às quais o homem caminha. O texto, traduzido por Beatriz Sayad, tem em seu cerne um fragmento do Contrato social, de Rousseau, e mergulha em discussões insólitas sobre a decadência — ou a catástrofe — das premissas sobre as quais se constroem o pensamento iluminista-ocidental: liberdade, igualdade, fraternidade, justiça e racionalidade.

Sobre a autora
Angélica Liddell (Figueres, Girona, Espanha, 1966) é dramaturga, atriz e produtora. Em 1993, criou a companhia Atra Bilis Teatro. Recebeu diversos prêmios, entre eles o Prêmio SGAE de Teatro 2004, por Mi relación con la comida; o Prêmio Ojo Crítico Segundo Milenio 2005, pelo conjunto da obra; o Prêmio Notodo do público na categoria de melhor espetáculo de 2007, por Perro muerto en tintorería: los fuertes; o Prêmio Valle-Inclán 2008, por El año de Ricardo; e o Prêmio Sebastiá Gasch de Artes Parateatrales 2011. Suas obras foram traduzidas para francês, inglês, romeno, russo, alemão, polonês, grego e português, e suas últimas peças, El año de Ricardo, La casa de la fuerza, Maldito sea el hombre que confía en el hombre e Todo el cielo sobre la tierra (El síndrome de Wendy), foram montadas no Festival d’Avignon, no Wiener Festwochen e no Théâtre de l’Odeón de Paris. Em 2012, recebeu o Prêmio Nacional de Literatura Dramática, por Casa de la fuerza, e em 2013 ganhou o Leão de Prata da Bienal de Teatro de Veneza.

Sobre a tradutora
Beatriz Sayad (São Paulo, Brasil, 1973) é autora, atriz e diretora. Formou-se em Letras pela PUC-Rio e cursou, na França, a Escola Internacional de Teatro Jacques Lecoq. Aos 18 anos, passou a integrar a companhia suíça Teatro Sunil (atual Cia Finzi Pasca). No Brasil, atuou como palhaça em hospitais pelo Doutores da Alegria, e coordenou diversos projetos dentro do grupo, como a direção do espetáculo Inventário – aquilo que seria esquecido se a gente não contasse (2009). Integrou durante 6 anos a Cia Teatro Balagan e, a partir de 2010, voltou a atuar na Cia Finzi Pasca, nos espetáculos Donka, uma carta a Tchekhov (2010) e La veritá (2013), ambos ainda em turnê, já tendo sido apresentados em mais de 20 países. Paralelamente à turnê, em 2011, dirigiu e escreveu, ao lado da atriz Dani Barros, o espetáculo Estamira – beira do mundo, que obteve o Prêmio Shell de melhor atriz.

Sobre a coleção
A Coleção Dramaturgia publica, desde 2012, textos de dramaturgos da cena teatral brasileira e internacional. Os livros ajudam a construir a memória do teatro do nosso tempo, marcando um novo registro do cenário da dramaturgia contemporânea. Em 2015, a Cobogó lançou ainda a Coleção Dramaturgia Espanhola e em 2019 a Coleção Dramaturgia Francesa e a Coleção Dramaturgia para Crianças. São aproximadamente 70 autores em mais de 80 títulos lançados.

Ficha Técnica
Coleção Coleção Dramaturgia Espanhola
Autora Angélica Liddell
Tradutora Beatriz Sayad
Idioma Português
Páginas 104
ISBN 9788560965823
Capa Radiográfico
Encadernação Brochura
Formato 13 x 19 cm
Ano 2015

Cachorro morto na lavanderia: os fortes
Cachorro morto na lavanderia: os fortes
Cachorro morto na lavanderia: os fortes

Nome:

Email:

Estado:

Cidade:

Data de nascimento:

/ /

Áreas de Interesse: