Pra onde quer que eu vá será exílio

R$ 36,00

Obrigado! Enviado com sucesso.

Problema ao enviar, tente novamente.

Laila prepara uma última refeição. Ana e Aslan abandonam a casa em ruínas. Rosa e Ana se aproximam, separadas por um muro. Kalu não pode mais ficar, Aslan não quer mais ir embora. Deniz fabula sobre as vidas que não conhece. Diferentes espaços e tempos testemunham os encontros dessas personagens e as conversas os impulsionam a seguir. Elas migram porque precisam, mas também porque desejam se sentir em casa.

Suzana Velasco, jornalista e pesquisadora da representação de migrantes, lança mão de um olhar afetuoso para a vida de suas personagens. Apesar do horror da guerra e da desigualdade, essas pessoas, por meio de suas memórias e fantasias, propõem novas formas de viver.

Integrando a Coleção Dramaturgia, da Editora Cobogó, Pra onde quer que eu vá será exílio é uma dentre as 14 dramaturgias criadas por autoras e autores da quinta turma (2019) do Núcleo de Dramaturgia Firjan SESI com orientação do diretor e dramaturgo Diogo Liberano.

No começo pensava que a explosão era sempre aqui do lado. Depois a gente aprendeu as distâncias: bomba na vizinhança, bomba no centro da cidade, bomba longe, bomba muito longe. Não era só o volume do estrondo, a duração era diferente. As bombas distantes faziam um zumbido que parecia um instrumento desafinado; as de perto eram rápidas e ensurdeciam a gente. No começo eu só conseguia dormir com o som de bombas muito longe. Em poucos meses já tinha me acostumado com as da vizinhança. Mas só dormi bem mesmo no dia em que a casa da frente virou pó. Que foi o mesmo dia em que acharam o corpo do meu pai. Hoje ele ia ter saudades até da calçada de pedras quebradas, tinha que passar com carrinho de criança como se fosse corrida de carro, ia ter saudades do mau humor do motorista de ônibus sempre atrasado, o pai dizia que ele era racista. Acho que era só bronco, mesmo. A gente sente falta até do que detesta.

Sobre a autora
Suzana Velasco é jornalista, escritora e doutoranda em Relações Internacionais pela PUC-Rio. Trabalhou por 12 anos no jornal O Globo, onde foi repórter e editora assistente de Cultura. É autora do livro Imigração na União Europeia: Uma leitura crítica a partir do nexo entre securitização, cidadania e identidade transnacional (EDUEPB, 2014). Sua pesquisa de doutorado trata da representação de migrantes, questionando como experiências de migração excedem as categorias políticas modernas.

Sobre a coleção
A Coleção Dramaturgia publica, desde 2012, textos de dramaturgos da cena teatral brasileira e internacional. Os livros ajudam a construir a memória do teatro do nosso tempo, marcando um novo registro do cenário da dramaturgia contemporânea. Em 2015, a Cobogó lançou ainda a Coleção Dramaturgia Espanhola e em 2019 a Coleção Dramaturgia Francesa e a Coleção Dramaturgia para Crianças. São mais de 50 autores publicados em 80 títulos lançados.

Ficha técnica
Título Pra onde quer que eu vá será exílio
Autora Suzana Velasco
Coleção Dramaturgia
Idioma Português
Páginas 88
ISBN 9786556910512
Capa Guilherme Ginane
Encadernação Brochura
Formato 13 x 19 cm
Ano 2021
Preço R$ 36,00

Pra onde quer que eu vá será exílio
Pra onde quer que eu vá será exílio
Pra onde quer que eu vá será exílio
Pra onde quer que eu vá será exílio
Pra onde quer que eu vá será exílio
Pra onde quer que eu vá será exílio

Nome:

Email:

Estado:

Cidade:

Data de nascimento:

/ /

Áreas de Interesse: